feat0

Escritor cratense de 13 anos publica livro

Sayd Alcantara é provavelmente um dos escritores mais jovens da nossa pequena grande cidade. Com apenas 10 anos em 2012, começou a escrever o seu primeiro livro.

Leia Mais
feat2

Divirta-se com nossa Fanpage!

The Lightning Thief (O Ladrão de Raios) é o tipo de livro que já começa tirando uma onda pra chamar a atenção do leitor. Tem um ritmo impecável do começo ao fim; você pisca os olhos e já está no final. Que bruxaria é essa, Riordan?

Leia Mais
feat3

crato apresenta caso de microcefalia

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), até o dia 8 deste mês, fevereiro, foram confirmados 192 casos de microcefalia com suspeita de ligação ao zica Vírus no Ceará. Um número que cresceu absurdamente depressa...

Leia Mais
feat4

Dica de livro: Preciosa

Muitos já devem ter assistido o filme. Muitos já devem ter lido o livro. Para aqueles que assistiram o filme, mas não leram o livro, este será um ótimo post, acredito; servirá para impulsionar o possível desejo da leitura.

Leia Mais
feat5

Entrevistas: Vinícius Grossos, autor de Sereia Negra

Vinícius Grossos é um jovem escritor brasileiro de 22 anos, natural do estado do Rio de Janeiro. Na infância, já quis ser desenhista e sonhou em simplesmente trabalhar em uma livraria, para ter a oportunidade de ler tudo o que fosse possível.

Leia Mais

Entrevista: Vinicius Grossos

Entrevista: Sayd Alcantara

Entrevista: Josué Matos

TOP MAIS LIDAS

Keep Calm and visite a belíssima Euroville (Santana do Cariri / CE)!Dica de algum lugar no Cariri para divulgar na página? Nos envie. (:

Publicado por Eu Sou do Cariri em Quarta, 30 de março de 2016

''PEQUENAS PALAVRAS' TÊM GRANDES SENTIMENTOS E GRANDES EMOÇÕES, DIZ ESCRITOR DIOGO JUNIO.


Diogo em Bienal do livro em Minas Gerais. Foto: reprodução / Instagram.
Se você é o tipo de pessoa que acha legal conhecer novos livros e autores, o tipo de pessoa que adora poesia e curti ler boas crônicas, certamente gostará de ser apresentado ao moço que sorri na fotografia acima. Desde a infância Diogo Junio, 23, se mostra feliz em contar histórias, é apaixonado pela leitura e pela escrita, pelo amor que facilmente é encontrado nas palavras. Filho de pais comerciantes e formado em Contabilidade, em 2013 publicou o seu primeiro livro de poesias, crônicas e frases intitulado ‘’Pequenas Palavras’’.

Atualmente, Diogo é estudante de Pedagogia e, sonhador, perseverante, acredita que a educação, a qual consegue fazer com que as pessoas pensem em suas ações, possui o poder de mudar o mundo. Quem sabe se todos acreditassem nisso, pudéssemos mudar o “podre” da terra com maior velocidade, ''Quem acredita sempre alcança'' cita Diogo, fã de Renato Russo. Palmas para o jovem escritor! Educação de qualidade, com certeza, é a solução para os problemas da sociedade.

Quando perguntei sobre leitura, Junio, que encontra na vida todas as inspirações possíveis, disse “ler abre todos os caminhos, faz você sonhar, faz você realizar. Ler te faz um deus. Um deus consciente, experiente e mais sábio”.

Após trocarmos algumas mensagens, concordamos que seria legal se me respondesse algumas perguntas objetivas para o blog. E ele respondeu! Confere aí, logo abaixo:

Foto: reprodução / Instagram.
Como você decidiu o título do livro? Por que “Pequenas Palavras”?
O nome do livro surgiu através da ideia de que todas as coisas têm um princípio pequeno, mas que com a medida do tempo elas vão se tornando maiores e significativas. As ''pequenas palavras'' têm grandes sentimentos e grandes emoções.

O quê é mais abordado em seus textos?
Gosto de escrever o que está dentro do meu coração, e o que está acontecendo no mundo. Gosto de retratar nos meus textos fatos cotidianos da vida, com os quais acabamos nos identificando de alguma maneira.

Se pudesse escrever uma frase que seria lida por todos no mundo agora, qual seria? Por qual motivo?
Existe uma frase que escrevi na abertura do meu livro, que gosto bastante e sempre vou repeti-la: ''Sou apenas aquilo o que o amor me faz ser''.
Porque quando você é o que amor faz você ser, você tem tudo, você é o mundo.

Alguns escritores vivem o que irão escrever, outros se transportam de coração e alma para os fatos em processo de escrita, mesmo que não os tenham vivenciado. Em qual dos dois tipos você melhor se encaixa? Cite exemplo de algo que escreveu e vivenciou, ou que não vivenciou e foi difícil colocar no papel.
Costumo dizer que em cada texto meu escrito, tem um pedacinho de mim. Seja por alguma lembrança, por algo vivenciado, ou por algo que pode se tornar real dentro e fora do contexto.
Um de meus textos ''A mágica na janela'' por exemplo, escrevi em um momento de solidão, enquanto via minha vida passar pela janela do quarto.
''A mágica'' deu certo e esse texto foi inserido em uma peça de teatro da minha região.

Escrever pode envolver muitas emoções. Você já se viu chorando enquanto escrevia, ou até mesmo rindo sozinho?
Sim, já chorei e ri várias vezes. E quero continuar chorando e rindo várias outras. Quando tem emoção envolvida entre o que você faz, não necessariamente algo que você escreve, mas algo que você vivência e se emociona, seja qual for a área da vida, você se sente melhor e consegue passar isso para as outras pessoas.

Foto: reprodução / Instagram.
É isso, pessoal, espero que tenham gostado da entrevista. Caso você faça parte do time que já conhecia o Diogo Junio, aqui vai uma informação: ele está trabalhando em um romance que pretende publicar com não tanta demora! Para se manter atualizado sobre o escritor, siga-o em suas contas nas redes sociais: Instagram | Facebook.

Comente, deixe a sua opinião:

Currently have 2 comentários:


Comente de outra forma